O post de hoje é para começar o final de semana antecipadamente 😉

Como a Marcela está meio sumida devido ao trabalho. Vou falar um pouquinho sobre férias. Ebaa!

Apesar do cambio super desfavorável para nós, a quantidade de brasileiros em terras americanas e europeias não caiu muito. Em toda fila, tem um brasileiro! rs

Eu fui para França, Espanha e Portugal no último mês e tenho muitas dicas para dar. Então se você está pensando em viajar para esses destinos, fique ligada nos próximos posts, vou contar tudo sobre minha viagem e as dicas de cada destino.

Hoje, vou contar algumas dicas para economizar um pouquinho e aproveitar as férias de forma mais econômica.

1) Trocar dinheiro

dica1-economizar-01

Eu sempre levo um pouco de dinheiro comigo para as primeiras despesas, como taxi, café no aeroporto, etc. E deixo para sacar dinheiro lá. Sempre consegui taxas melhores do que as casas de cambio aqui no Brasil. Para vocês terem ideia:

Casa de Cambio = R$ 4,20
Saque no Exterior = R$ 4,01
*Valores de setembro/2015

Você precisa apenas fazer o aviso viagem para o seu cartão no banco e confirmar com o gerente se está tudo ok para saques internacionais.

2) Transporte Público

dica2-economizar-01

O transporte público na maior parte da Europa é muito bom e muito mais barato que andar de táxi. Muitos países oferecem ainda bilhetes com períodos maiores e com descontos.

Veja como comprar um bilhete semanal (por exemplo) com desconto. É uma ótima forma de economizar.

3) Refeições

dica3-economizar-01

Claro que ficar sem comer, não é uma opção. Afinal, viajar também é experimentar a comida local, conhecer um pouco mais dos temperos e ingredientes de cada lugar. Então, eu nunca deixo de ir em restaurantes mas tem como economizar também na alimentação.

Faça uma refeição mais completa no dia e faça lanches nas outras refeições. Países como França e Espanha, por exemplo, têm hábito de comer deliciosos sanduíches nas refeições, sem glamour, do tipo pegar e levar. Custam menos que 1/3 do preço de uma refeição.

Para baratear ainda mais, escolha o almoço. Na maior parte dos locais, os preços do almoço são mais em conta que os preços do jantar. No almoço tem fórmulas com preços mais acessíveis!

4) Roteiro bem planejado

dica4-economizar-01

Se você é daquelas pessoas que amam museus e atrações, se programe!

Muitos países não cobram pela maior parte das atrações, mas em outros, tudo é pago! Pesquise com antecedência, veja as prioridades e compre pela internet os ingressos (em geral, com desconto pela antecedência).

Outra dica é ver o dia que a entrada é gratuita e aproveitar. O Louvre, por exemplo, oferece entrada gratuita todo primeiro domingo do mês.

5) Hospedagem

dica5-economizar-01

Um dos itens mais caro na viagem é a hospedagem. Mas isso também deixou de ser um problema. Existem opções mais baratas e, que são tão boas quanto um quarto de hotel.

De todos os países que eu já fui, Paris sempre é o lugar mais caro. Então confira as dicas da Marcela no post HOSPEDAGEM ALTERNATIVA EM PARIS.

Eu tenho usado muito o Airbnb, um site com opções de apartamentos para locação durante as férias. É muito mais barato. Para vocês terem ideia:

Aluguel um apartamento em Lisboa, para 4 pessoas, por R$ 170,00/diária. Incrível, né?

Para garantir uma hospedagem tranquila, confira os comentários e as fotos do apartamento.

6) Saia da área pega turista

dica6-economizar-01

Se você realmente quer conhecer a Europa de forma mais econômica, precisa sair da zona de conforto e buscar alternativas aos restaurantes/lojas/serviços feitos para turista.

EM geral, nas zonas centrais as coisas são muito mais caras, e na minha opinião piores.

Adoro comer como um italiano na Itália, um parisiense em Paris, etc. Não caia no golpe “pega turista”.

7) Seguro Viagem

dica7-economizar-01

Muitos cartões de crédito oferecem seguro viagem para clientes que compram a passagem com o cartão.

Aproveite esse beneficio! Basta ligar na operadora do cartão e solicitar o beneficio. Não esqueça de solicitar a carta de comprove o seguro.

8) Celular

dica8-economizar-01

E por fim, cuidado com o celular! Faça um plano com antecedência com sua operadora ou desligue o celular! rs

Na ultima viagem, eu não fiz nada e atendi uma ligação…Haa! Paguei R$ 500 por uma ligação de 5 minutos.

Espero ter ajudado. E fique de olho nos próximos posts com as minhas dicas sobre Barcelona, Paris e Lisboa. s2

Compartilhe:

Dividir ao invés de acumular. Esse é o lema da economia colaborativa. No centro da economia colaborativa estão empresas e pessoas que surgiram com a idéia do desapego. Variações do compartilhamento pessoa-para-pessoa (peer-to-peer). Carros, alimentos, moradia, informação, tecnologia, até mesmo roupas e acessórios, entre outras bens.

Esse conceito tem se provado um movimento revolucionário e que vem dando certo. Não só pela economia de dinheiro (ou pelo dinheiro que você ganha) mas pela oportunidade de viver algo novo, pela experiencia.

A cada dia, descobrimos situações com o conceito de economia colaborativa. Um dos pontos mais favoráveis à disseminação da economia colaborativa é ser um modelo vantajoso tanto para quem oferece quanto para quem contrata um serviço. Os intermediários e os custos de uma estrutura formal de comércio, são eliminados.

Você já pensou nisso? Será que você nunca participou dessa corrente?
Quer começar? É fácil, confira algumas opções:

economia-colaborativa-01

Hospedagem – Quem nunca ouviu falar no Airbnb? Nós mesmas já falamos várias vezes aqui. É uma plataforma onde você pode alugar cômodos vagos e imóveis por temporada. A empresa atualmente, tem um valor de mercado superior ao de grandes grupos hoteleiros, como o Hyatt. Só em 2014, os empreendimentos colaborativos movimentaram mais de 110 bilhões de dólares em todo o mundo, segundo a revista Forbes.

Bazares de Trocas e Brechós – Não precisa ir muito longe, cOm certeza no seu bairro tem um brecho. Esses espaços vem ganhando espaço nas grandes cidades. Você consegue boas roupas com preços camaradas! Curitiba, no Paraná é um exemplo que como pode funcionar esse tipo de comercio. Mas se você não tem essa opção, você pode organizar um bazar de troca com suas amigas, familiares e vizinhos! Troque o que você não quer mais por uma peça que sua amiga já enjoou 😉

Carona Compartilhada – Ter um carro hoje não é fácil. Gasolina, Custo de Manutenção, Estacionamento, Etc. Que tal alugar um carro apenas quando precisar? Ou melhor, pegar uma carona com alguem? Atualmente existem vários aplicativos ou grupos de caronas.

Escritório compartilhado – Trabalhar cada dia em um lugar novo, conhecer pessoas novas, trocar informação de marcado. É essa a tendencia no mundo corporativo, os coworkings tambem estão ganhando espaço e se alastrando nas capitais.

Colocar na ponta do lápis o tamanho da economia que pode ser feita com o compartilhamento pode ser um bom incentivo para começar. Então, vamos lá 😉

Compartilhe:

Na semana passada falamos sobre os números da educação no Brasil e o que podemos fazer para melhorar. Para quem não viu, clique aqui.

Você já ouviu sobre a faculdade que pretende revolucionar os estudos?

Ao lado da prefeitura de São Francisco, na Califórnia, três dezenas de jovens de várias partes do mundo fazem parte de um pequeno grupo que está testando uma possível revolução nos estudos.

A Universidade Minerva não tem um campus tradicional, composto de salas de aulas, bibliotecas e laboratórios. A única estrutura física é o prédio onde os estudantes moram. As aulas são feitas por videoconferência onde professores e alunos conectam-se a uma plataforma de vídeo parecida com um bate-papo online em que todos interagem pela internet. E a cada ano, muda de pais.

O fundo Benchmark, que investiu em empresas como eBay, Twitter e Uber quando estavam em estágio inicial, também colocou dinheiro na Minerva. Ao todo, a universidade levantou 95 milhões de dólares em três anos. Seus investidores apostam que a plataforma é replicável e lucrativa.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Para os alunos, um dos principais atrativos da Minerva é o baixo custo. Enquanto um ano acadêmico nas universidades Yale ou de Princeton varia de 63 000 a 68 000 dólares, a anuidade da Minerva é de 28 000 dólares — os gastos com moradia e alimentação estão incluídos nesse valor.

Essa turma passará ainda por Berlim, Buenos Aires, Seul, Bangalore, Londres e Istambul.

Mas nem tudo é vantagem. É bem difícil passar, o índice de aprovação de cerca de 1% torna a instituição uma das mais concorridas — nas universidades americanas Harvard e Stanford são aprovados 6% dos inscritos.

Será que vai dar certo?

Compartilhe:

Essa semana tem volta as aulas. Depois de 1 mês de muita bagunça, tá na hora de voltar para a escola e enfrentar o segundo semestre.

Então vamos aproveitar para falar sobre educação.

educacao-01

Semana passada fofam divulgados os resultados das metas de educação no Brasil. Embora o resultado seja positivo, temos MUITO a fazer ainda. O prazo  de cumprimento dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, firmados em 2008, termina em dezembro de 2015, e o Brasil irá cumprir a meta de número 2 no documento.

O país já cobre cerca de 98,2% da educação fundamental. O acesso as escolas é o ponto positivo, mas segundo coordenadora da Unesco, o grande problema das crianças é não conseguir aprender. A gente chama isso de exclusão infraescolar, ou seja, a criança está na escola, mas ela não aprende o básico. Muitas vezes termina a educação primária sem interpretar um texto ou mesmo fazer conta de matemática.

educação-brasil-01

EDUCAÇÃO NO MUNDO

Infelizmente ainda tem muito a ser feito pelo mundo inteiro. Muitos países não conseguirão atingir nem a meta número 2 (desde aprendizado primário até superior). Segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2000, 100 milhões de crianças não frequentavam a escola. Em 2015, o número caiu, mas 57 milhões de crianças ao redor do mundo ainda não vão ao colégio.

Dos 167 países. A Unesco avalia que, desses países, 2% estão muito longe de alcançar essa meta (de universalizar o ensino), 21% estão longe, 5% estão perto e 71% conseguiram alcançar o objetivo.

O QUE PODEMOS FAZER

Para os estudiosos no assunto, precisamos priorizar o ensino gratuito, e considerá-lo realmente como um direito de todos. Em seguida, atenta que os países precisam alocar recursos, como construir novas escolas, formar e empregar professores de qualidade e trabalhar na transferência de renda para que os pais não precisem colocar os filhos para trabalhar.

 

Na próxima semana vou mostrar uma história bem bacana sobre as faculdades startup. Um modelo diferente que promete ganhar espaço em alguns anos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe: