Vauban. É o nome da cidade onde tudo isso acontece!

Estamos vivendo um período onde todos (ou quase todos) estão buscando uma alternativa para uma vida mais saudável, mais sustentável e até mais feliz. Melhorar a qualidade de vida, reduzir a poluição, reutilizar e reciclar materiais, racionalizar o uso de água e energia…são itens que começaram a entrar em pauta. Não é mesmo?

Acho que temos muito a fazer, mas começar a pensar, já é um começo 😉 Então, vamos lá: O que você faz para melhorar sua qualidade de vida? O que você faz para melhorar o planeta?

Enquanto nós começamos, tem um exemplo muito bacana. A cidade de Vauban, em Freiburg, na Alemanha.

cidade eco-01

A cidade se tornou um modelo de cidade sustentável, desde meados dos anos 90. Em 1993 iniciou-se o planejamento da cidade, e já nos anos de 1995 e 1996 foram feitos encontros comunitários para conscientização sobre o uso de energia. Em 1998 começaram as primeiras construções e em 2006 o projeto de Vauban estava concluído e funcionando!

A cidade foi planejada para até 5.000 habitantes.

As casas foram construídas para funcionar como micro usinas de geração de energia elétrica. E todas as casas geram mais do que necessário para a família. Doando o excedente para o coletivo, para os espaços públicos.

A reciclagem é outro aspecto, todos os resíduos gerados são totalmente separados em coletores espalhados pela cidade e cerca de 65% desses resíduos são reciclados. O meio de transporte oficial são as bicicletas. E para evitar a circulação de automóveis nos bairros, foram criados estacionamentos para visitantes nas vias periféricas.

O que você achou? Está muito fora da nossa realidade mas é um exemplo que como as coisas simples da vida podem ser prazerosas. Não é mesmo?

Compartilhe:

A previsão do tempo para hoje é de ar seco. Já virou até piada no jornal.

A massa de ar seca que está sobre o Brasil, deixa a umidade do ar baixa, é comum sentir irritação na garganta, no nariz e nos olhos. Em semanas como esta, em que a umidade relativa do ar chegou ao índice mais baixo registrado neste ano na cidade de São Paulo, é preciso tomar cuidados especiais para evitar esses problemas.

Alem de prevenir e tomar os cuidados básicos durante a semana, como:

  • Tome água! A principal recomendação para os dias secos é tomar bastante água, o que pode ajudar a aliviar a irritação na garganta.
  • Vaporizadores e bacias de água. Recorrer aos vaporizadores, principalmente na hora de dormir, é uma excelente opção para fugir dessa secura!
  • Evite exercícios físicos nos horários mais secos. Mesmo em lugares fechados.
  • Manter a casa limpa. Evite o acumulo de poeira.
  • Evitar o ar condicionado. O ar resseca o ar e piora a condição do ar.

 

Mas como o final de semana está chegando, é uma boa opção fugir com a família para lugares que ofereçam uma condição mais favorável, não é mesmo? São muitas opções..

–> Cachoeiras. Cachoeiras são lindas e extremamente relaxantes, aqui no Brasil possuímos diversas cascatas espalhados por todo país, umas gigantes, outras pequenas, outras com águas claras e outras mais escuras, cada uma com suas características especiais. Aproveite a água e relaxe!

cachoeiras-01

—> Vá para praia. De praia nós não podemos reclamar. O litoral brasileiro é um dos mais lindos no mundo. Que tal fugir para uma praia mais perto de você e pegar a brisa do mar para amenizar a secura do ar?praia-01

—> Leve a criançada para o parque aquático.  Além do mergulho refrescante, as atrações incluem toboáguas radicais, rios lentos para descer com boia, piscinas de ondas e até áreas verdes para se refugiar na sombra. A criançada se diverte e os pais aproveitam o sossego, que tal?

parqueaquatico-01

Ou simplesmente, aproveite uma bela piscina no condomínio, na casa de um amigo…

O importante é curtir a água e evitar a secura do ar!

 

Compartilhe:

Na semana passada falamos sobre os números da educação no Brasil e o que podemos fazer para melhorar. Para quem não viu, clique aqui.

Você já ouviu sobre a faculdade que pretende revolucionar os estudos?

Ao lado da prefeitura de São Francisco, na Califórnia, três dezenas de jovens de várias partes do mundo fazem parte de um pequeno grupo que está testando uma possível revolução nos estudos.

A Universidade Minerva não tem um campus tradicional, composto de salas de aulas, bibliotecas e laboratórios. A única estrutura física é o prédio onde os estudantes moram. As aulas são feitas por videoconferência onde professores e alunos conectam-se a uma plataforma de vídeo parecida com um bate-papo online em que todos interagem pela internet. E a cada ano, muda de pais.

O fundo Benchmark, que investiu em empresas como eBay, Twitter e Uber quando estavam em estágio inicial, também colocou dinheiro na Minerva. Ao todo, a universidade levantou 95 milhões de dólares em três anos. Seus investidores apostam que a plataforma é replicável e lucrativa.

VANTAGENS E DESVANTAGENS

Para os alunos, um dos principais atrativos da Minerva é o baixo custo. Enquanto um ano acadêmico nas universidades Yale ou de Princeton varia de 63 000 a 68 000 dólares, a anuidade da Minerva é de 28 000 dólares — os gastos com moradia e alimentação estão incluídos nesse valor.

Essa turma passará ainda por Berlim, Buenos Aires, Seul, Bangalore, Londres e Istambul.

Mas nem tudo é vantagem. É bem difícil passar, o índice de aprovação de cerca de 1% torna a instituição uma das mais concorridas — nas universidades americanas Harvard e Stanford são aprovados 6% dos inscritos.

Será que vai dar certo?

Compartilhe:

Essa semana tem volta as aulas. Depois de 1 mês de muita bagunça, tá na hora de voltar para a escola e enfrentar o segundo semestre.

Então vamos aproveitar para falar sobre educação.

educacao-01

Semana passada fofam divulgados os resultados das metas de educação no Brasil. Embora o resultado seja positivo, temos MUITO a fazer ainda. O prazo  de cumprimento dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, firmados em 2008, termina em dezembro de 2015, e o Brasil irá cumprir a meta de número 2 no documento.

O país já cobre cerca de 98,2% da educação fundamental. O acesso as escolas é o ponto positivo, mas segundo coordenadora da Unesco, o grande problema das crianças é não conseguir aprender. A gente chama isso de exclusão infraescolar, ou seja, a criança está na escola, mas ela não aprende o básico. Muitas vezes termina a educação primária sem interpretar um texto ou mesmo fazer conta de matemática.

educação-brasil-01

EDUCAÇÃO NO MUNDO

Infelizmente ainda tem muito a ser feito pelo mundo inteiro. Muitos países não conseguirão atingir nem a meta número 2 (desde aprendizado primário até superior). Segundo relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), em 2000, 100 milhões de crianças não frequentavam a escola. Em 2015, o número caiu, mas 57 milhões de crianças ao redor do mundo ainda não vão ao colégio.

Dos 167 países. A Unesco avalia que, desses países, 2% estão muito longe de alcançar essa meta (de universalizar o ensino), 21% estão longe, 5% estão perto e 71% conseguiram alcançar o objetivo.

O QUE PODEMOS FAZER

Para os estudiosos no assunto, precisamos priorizar o ensino gratuito, e considerá-lo realmente como um direito de todos. Em seguida, atenta que os países precisam alocar recursos, como construir novas escolas, formar e empregar professores de qualidade e trabalhar na transferência de renda para que os pais não precisem colocar os filhos para trabalhar.

 

Na próxima semana vou mostrar uma história bem bacana sobre as faculdades startup. Um modelo diferente que promete ganhar espaço em alguns anos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe: