Depois de duas semanas longe, estou de volta! E hoje tema é: Dieta vs. Reeducação Alimentar!

Dieta da maçã, do miojo, da proteína, da lua…blablabla…

Quem nunca aderiu à dietas “milagrosas”, cheias de promessas, super radicais e assim que parou reganhou todos os kgs perdidos e até um pouco mais? Não, não sou vidente, nem pesquisei sobre a sua história para saber que é exatamente assim. Eu já tentei de tudo e mais um pouco em relação à dietas ou qualquer outro método supostamente milagroso!

Estes tipos de dieta, geralmente tem prazo de validade, tanto para acabar quanto para re-engordar. Estas dietas são baseadas em poucas calorias, alimentos específicos e baixa qualidade nutricional. Têm como único objetivo a perda rápida de peso, sem promover saúde e a manutenção deste peso perdido.

Dieta tem como objetivo atender a algum motivo terapêutico específico, como redução do colesterol, diabetes, ganho de massa muscular, etc. Para cada uma delas, há um cardápio específico elaborado por um profissional da saúde. Não existe uma dieta pronta, que atenda a todas as pessoas igualmente. Cada um, tem uma necessidade nutricional e objetivos específicos. A manutenção da dieta se dá pela adoção de uma rotina saudável e amparada pela reeducação alimentar.

A reeducação alimentar é o processo de aprendizado, conscientização e mudança de hábito alimentar de forma gradativa. A perda de peso na reeducação alimentar não é tão rápida em comparação às dietas super restritivas, porém os resultados são duradouros e podem até ser definitivos.

O segredo da reeducação é alimentar-se de forma balanceada, abrangendo todos os grupos alimentares essenciais, onde nada é proibido, porém tudo deve ser consumido com moderação.

Seguem algumas dicas para iniciar este processo de mudança:

1. Consuma no mínimo 2 litros de água por dia. A água auxilia o melhor funcionamento do corpo e elimina as toxinas.

2. Coma de 3 em 3 horas. Este hábito, mantém os níveis de glicose estáveis, evita picos de fome e ajuda seu metabolismo a trabalhar.

3. Programe suas refeições. Pensar no que vai comer nas próximas refeições, preparar seus lanches com antecedência, evitam as escolhas erradas na hora de alimentar-se.

4. Qualidade X Quantidade. Nem sempre um alimento menos calórico é o mais saudável. Invista na qualidade dos alimentos e não apenas na sua quantidade de calorias. Um bom exemplo, é o suco light de caixinha que possui menos calorias em relação ao suco de fruta natural, porém, qual traz mais benefícios em relação à saúde?

5. Faça trocas inteligentes. Comece a mudança da sua rotina, trocando alguns alimentos pela versão mais saudável. Alguns exemplos: o leite integral pelo desnatado, o açúcar pelo adoçante, o arroz branco pelo integral, o queijo amarelo pelo branco. Após as trocas, evolua para a inserção de alimentos saudáveis não consumidos anteriormente.

6. Mexa-se mais. Se ainda não tem tempo ou não consegue manter uma rotina regular de exercícios físicos, comece com pequenas ações. Troque alguns andares de elevador pelas escadas, almoce em lugares mais distantes que possa caminhar alguns minutos a mais que o habitual, etc.

Fonte: Cultura Mix - Saúde

Fonte: Saúde – Cultura Mix

Há vários posts anteriores com receitas, como usar os alimentos de forma saudáveis, entre outras dicas que podem ajudar no dia a dia. Reforço sempre a importância de consultar um profissional que possa te ajudar a realizar as mudanças necessárias para a conquista do seu objetivo!

Até a próxima semana! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *