Depois de duas semanas longe, estou de volta! E hoje tema é: Dieta vs. Reeducação Alimentar!

Dieta da maçã, do miojo, da proteína, da lua…blablabla…

Quem nunca aderiu à dietas “milagrosas”, cheias de promessas, super radicais e assim que parou reganhou todos os kgs perdidos e até um pouco mais? Não, não sou vidente, nem pesquisei sobre a sua história para saber que é exatamente assim. Eu já tentei de tudo e mais um pouco em relação à dietas ou qualquer outro método supostamente milagroso!

Estes tipos de dieta, geralmente tem prazo de validade, tanto para acabar quanto para re-engordar. Estas dietas são baseadas em poucas calorias, alimentos específicos e baixa qualidade nutricional. Têm como único objetivo a perda rápida de peso, sem promover saúde e a manutenção deste peso perdido.

Dieta tem como objetivo atender a algum motivo terapêutico específico, como redução do colesterol, diabetes, ganho de massa muscular, etc. Para cada uma delas, há um cardápio específico elaborado por um profissional da saúde. Não existe uma dieta pronta, que atenda a todas as pessoas igualmente. Cada um, tem uma necessidade nutricional e objetivos específicos. A manutenção da dieta se dá pela adoção de uma rotina saudável e amparada pela reeducação alimentar.

A reeducação alimentar é o processo de aprendizado, conscientização e mudança de hábito alimentar de forma gradativa. A perda de peso na reeducação alimentar não é tão rápida em comparação às dietas super restritivas, porém os resultados são duradouros e podem até ser definitivos.

O segredo da reeducação é alimentar-se de forma balanceada, abrangendo todos os grupos alimentares essenciais, onde nada é proibido, porém tudo deve ser consumido com moderação.

Seguem algumas dicas para iniciar este processo de mudança:

1. Consuma no mínimo 2 litros de água por dia. A água auxilia o melhor funcionamento do corpo e elimina as toxinas.

2. Coma de 3 em 3 horas. Este hábito, mantém os níveis de glicose estáveis, evita picos de fome e ajuda seu metabolismo a trabalhar.

3. Programe suas refeições. Pensar no que vai comer nas próximas refeições, preparar seus lanches com antecedência, evitam as escolhas erradas na hora de alimentar-se.

4. Qualidade X Quantidade. Nem sempre um alimento menos calórico é o mais saudável. Invista na qualidade dos alimentos e não apenas na sua quantidade de calorias. Um bom exemplo, é o suco light de caixinha que possui menos calorias em relação ao suco de fruta natural, porém, qual traz mais benefícios em relação à saúde?

5. Faça trocas inteligentes. Comece a mudança da sua rotina, trocando alguns alimentos pela versão mais saudável. Alguns exemplos: o leite integral pelo desnatado, o açúcar pelo adoçante, o arroz branco pelo integral, o queijo amarelo pelo branco. Após as trocas, evolua para a inserção de alimentos saudáveis não consumidos anteriormente.

6. Mexa-se mais. Se ainda não tem tempo ou não consegue manter uma rotina regular de exercícios físicos, comece com pequenas ações. Troque alguns andares de elevador pelas escadas, almoce em lugares mais distantes que possa caminhar alguns minutos a mais que o habitual, etc.

Fonte: Cultura Mix - Saúde

Fonte: Saúde – Cultura Mix

Há vários posts anteriores com receitas, como usar os alimentos de forma saudáveis, entre outras dicas que podem ajudar no dia a dia. Reforço sempre a importância de consultar um profissional que possa te ajudar a realizar as mudanças necessárias para a conquista do seu objetivo!

Até a próxima semana! :)

Compartilhe:

Ômega 3, ouvimos falar que é muito bom e que vem do peixe (e lembramos inevitavelmente da Top Therm…rs)! Ele é muito mais que bom e a única fonte não é o peixe, por isso resolvi trazer para vocês mais informações sobre esta gordura boa.

O Ômega 3 é ácido graxo essencial, que é um tipo de gordura, é essencial uma vez que apóia a manutenção e a promoção da saúde.

O corpo não produz o Ômega 3, por este motivo, devemos obtê-lo através dos alimentos. Muitos estudos comprovam que o Ômega 3 traz benefícios significativos ao sistema cardiovascular e cerebral.

Associado à atividades antiflamatórias, antitrombo, redução dos níveis de colesterol e triglicerídeos no sangue, são muitos benefícios para a redução do risco de doenças, como algumas citadas abaixo e muito mais:

1. Reduz o risco de doenças cardíacas, como derrames e infartos;
2. Diminui o colesterol;
3. Regula a pressão arterial;
4. Ajuda no tratamento da obesidade;
5. Ajuda no controle do diabetes;
6. Apóia o combate da depressão;
7. Bom para visão;
8. Melhora da atividade cerebral;
9. Alívio dos sintomas da artrite reumatóide.

A principal fonte do Ômega 3 são os peixes, na tabela abaixo estão os de maior índice:

Tabela1 (1)

Outras importantes fontes são:

• Semente de linhaça e chia;
• Castanhas e nozes;
• Óleos vegetais (azeite, óleo de soja, canola);
• Vegetais de folhas verdes escuro.

Existem suplementos de Ômega 3 em cápsula, porém não é comprovada a real eficácia e benefícios do consumo desta forma. Para tal consumo, é recomendado que consulte um médico e/ou nutricionista.

Minha cota de Ômega 3 está bem amparada pela comida japonesa, que sou apaixonada! E vocês, o que e quanto consomem?

Até a próxima semana! :)

Compartilhe:

Nas dietas atuais, é comum vermos pessoas que eliminam a carne vermelha de seu cardápio, com o argumento de que faz mal à saúde e engorda. Será que é verdade?

De fato, em grandes quantidades pode ser prejudicial à saúde devido ao alto teor de gorduras saturadas. Em quantidades adequadas e fazendo a escolha do corte certo, a carne vermelha pode ser uma aliada muito importante como fonte de nutrientes e para quem tem o objetivo de ganhar massa muscular.

Em relação a carne branca que tem uma quantidade de proteínas compatível à vermelha, ela não contém ferro que só a carne vermelha pode prover. Além do ferro, encontramos vitaminas do complexo B (principal fonte de vitamina B12, que é responsável pela manutenção do sistema nervoso central), zinco, magnésio, sódio, potássio e outros nutrientes. Para quem precisa de uma suplementação de vitaminas, como anêmicos, bariátricos, entre outros, a carne vermelha é a melhor fonte de nutrientes de origem animal.

Já para a galera fitness de plantão, a carne vermelha é uma ótima fonte de proteína de alto valor biológico, que fornece todos os aminoácidos necessários ao metabolismo. Os aminoácidos além de gerarem energia, são responsáveis pela formação da estrutura muscular.

Prefira os cortes mais magros, como filé mignon, lagarto, patinho, alcatra, maminha e coxão duro. Além de preparações mais saudáveis, como grelhados, assados e cozidos.

É possível viver sem carne vermelha, para isso, é necessário substituí-la por fontes que possam prover os mesmos nutrientes e se for necessário utilizar suplementos alimentares / esportivos. Nunca tome esta decisão por conta, apenas um profissional no assunto, como nutricionista, poderá lhe indicar a melhor forma de excluir a carne vermelha do cardápio. Para a inclusão de forma benéfica, a mesma coisa.

Deixo para vocês, uma receita fit com carne vermelha:

Escondidinho Maromba

500g de carne moída magra (uso patinho)
500g de mandioquinha
100ml de leite desnatado
1 colher de sopa de azeite
Temperos a gosto

Modo de preparo:
1. Refogar a carne moída com temperos de sua preferência. Tenho usado o Mr. Dash, tempero sem sódio e com vários sabores.
2. Cozinhar a mandioquinha na pressão por 10 minutos. Após o tempo, escorrer a água e em uma panela, juntar a mandioquinha amassada, com leite e azeite. Deixar na consistência de purê.
3. Em um refratário, espalhar a carne moída em toda superfície e por cima, colocar o purê. Na minha receita, coloquei queijo prato light por cima.
4. Leve em forno ou microondas para aquecer e após estará pronto para servir.

FB_IMG_1440416347592

Feito por mim!

O escondidinho é fonte de proteína e energia através do carboidrato complexo, pode ser utilizado como refeição principal ou pré treino.

Espero que gostem! :)

Compartilhe:

Vamos combinar que a com a vida corrida em que vivemos não nos favorecem muitas vezes em fazer escolhas mais saudáveis quando se trata de alimentação. É muito mais prático e rápido, comermos fora e consumirmos produtos industrializados. O problema é não saber escolher e algumas dessas escolhas não ajudarem e até prejudicaram a nossa saúde. É o caso dos sucos industrializados!

sucos

No meu caso, que não consumo leite por exemplo, sempre recorro aos sucos para compor meu café da manhã. Utilizei por muito tempo, os sucos de caixinha light, afinal são poucos calóricos e não impactam no meu objetivo (emagrecer/manter o peso). Mas no que contribuem para a saúde? NADA.

Os sucos tradicionais industrializados contém muito tudo, muito açúcar, conservantes, corantes e reduzem ou quase eliminam, a propriedade da fruta. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de no máximo 4 colheres de sopa de açúcar por dia. Para vocês terem ideia, um copo de 200ml destes sucos contém em torno de 2 colheres de sopa de açúcar, ou seja, metade do consumo recomendado durante um dia inteiro.

Mas e os lights/diets? Eles eliminam alguns itens, como o açúcar, mas se mantém os corantes, conservantes, etc, etc.

Apesar das questões acima, já existem opções industrializadas mais saudáveis. É claro, que a preferência deve ser sempre o suco de fruta natural, mas que também deve ser consumido com cuidado para quem deseja emagrecer por exemplo, além da água pura, água de coco e chá gelado sem açúcar que são as melhores opções para hidratação.

Para quem preza – também – pela praticidade, seguem algumas opções bacanas que já são fáceis de encontrar nos supermercados. Infelizmente, os custos são mais altos em relação aos sucos de caixinhas tradicionais, porém são incomparáveis quanto aos benefícios.

1. Suco do Bem

A Do Bem surgiu em 2009, com um grupo de jovens focado em mudar o mundo das bebidas. Os sucos são sem adição de açúcar, água e conservantes.

Eles oferecem os sabores integrais: Laranja com ou sem gominhos, Tangerina e Uva. Também oferecem uma linha detox, de chás, água de coco, entre outros.

sucos-do-bem

2. Greenday 100%

Os sucos Greenday 100% são só fruta, sem adição de água, açúcar, adoçantes e conservantes.

É um alimento nutritivo feito da fruta. E pode ser encontrado nas opções: Maçã Integral, Misto de Maçã e Pera, Uva Branca Integral e Uva Tinta Integral.

sucos1001

3. Natural One

Os sucos integrais Natural One foram formulados em conjunto com a universidade holandesa Wageningen, um dos principais centros de pesquisa em alimentos do mundo. O processo que utilizam, prolongam a vida da fruta, sem nenhum tipo de conservante.

Os sabores oferecidos são: Pink Lemonade, Maçã de Verdade, Limão de Verdade, Laranja de Verdade, Manga & Tudo, Uva Special Blend, além de uma linha detox e chá.

natural-one

Além das marcas acimas, tem outros sucos 100% integrais bacanas. Em feirinhas de alimentos orgânicos, também são bem comuns a oferta destes sucos!

Se tiverem alguma dica legal, compartilhem aqui com as amigas! 😉

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe: