Desde que a tapioca se tornou a queridinha do mundo fitness, eu fui a primeira a entrar no oba oba para incluir no meu cardápio, afinal eu amo tapioca! Claro que sempre a preferi com leite condensado e coco, quem nunca? Mas só de ter mais uma opção para o cardápio, me deixou felicíssima! Passei a trocar o pão integral por ela no café da manhã, mas percebia que em poucas horas, iniciava um quadro de hipoglicemia (baixa concentração de glicose no sangue). A partir daí, comecei a pesquisar um pouco mais sobre o alimento, compartilhar com nutricionista, e aí que vem alguns adendos importantes para uma melhor utilização e continuar colhendo benefícios através da alimentação saudável.

A tapioca é uma iguaria originária do Norte e Nordeste do Brasil, feita com a fécula extraída da mandioca. Atualmente encontramos a farinha pronta com facilidade em qualquer mercado, há tapiocarias espalhadas pela cidade de São Paulo e muitos estabelecimentos passaram a oferecer o prato.

tapioca-lightgetty

O que é que a tapioca tem de bom?

1. Não contém glúten;
2. Fornece energia;
3. Substituta do pão de farinha branca;
4. É livre de açucares e gorduras;
5. É prática e versátil.

Apesar dos benefícios acima, é preciso destacar que nem tudo são flores, a tapioca é um alimento de alta concentração de carboidratos, de alto índice glicêmico, pobre em fibras e proteínas.

Entenda o que são alimentos de alto índice glicêmico:

São alimentos que são digeridos mais rapidamente pelo organismo, ou seja aumenta a glicose (açúcar) de forma rápida no sangue. Quanto maior a quantidade de açúcar no sangue, o organismo tem de liberar maior quantidade de insulina para estabilizar a glicemia sanguínea. Além de poder sobrecarregar o pâncreas, que consequentemente pode causar o diabetes e para quem procura perder peso, há a tendência do organismo armazenar gordura quando os níveis de açúcares se elevam.

Para quem tem hipoglicemia como eu, devemos evitar alimentos de alto índice glicêmico, justamente por nosso organismo não regular bem as quantidades de insulina. Eu tenho o bônus de ter uma redução de estômago, que torna este quadro mais comum ainda.

Então quer dizer que quem quer perder peso não pode consumir tapioca?

Com moderação, sem prejuízos. Encontrei duas dicas bacanas para melhor utilizá-la:

1. Associe a tapioca com alimentos ricos em fibras e proteínas. Esta associação diminui o efeito da hiperglicemia (aumento de açúcar no sangue). Prefira recheios proteicos, como frango, atum, ovo, etc.
2. Troque 1 colher de sopa da farinha de tapioca na preparação por algum alimento rico em fibras, como a chia, farinha de linhaça ou farinha de amaranto, também para diminuir o índice glicêmico.

Tapioca com chia e recheio de ovo

Tapioca com chia e recheio de ovo

Os melhores horários para o consumo são no café da manhã, pré treino e pós treino, afinal ela provê energia e também a repõe.

Para quem quer apenas ter uma alternativa de substituição da farinha branca por um alimento livre de glúten, sódio e gorduras, é uma ótima opção! Já para aqueles que querem perder peso, ter um controle maior de calorias e praticam exercícios físicos, é necessário maior atenção. A tapioca continua como opção para variar o cardápio, basta olhar com mais cuidado e moderação!

Aqui são apenas dicas e fontes de pesquisas, reforço a importância de consultar um nutricionista para incluir a tapioca da maneira mais correta em seu cardápio, visando seu objetivo final! :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *